Meu menino negro
Tão lindo, tão fino,
De oiro tão negro
É o meu menino.

Meu menino negro
Negro de veludo,
Cabelo de lã
Com anéis e tudo.

Meu menino negro,
Olhos de cristal,
To meigos, tão puros,
Tão longe do mal.

Meu menino negro,
Mãozinhas morenas,
Unhitas de nácar,
Conchinhas pequenas.

Meu menino negro,
Vamos nanar,
Passarito negro
Do meu cantar.


In O Cantar da Tila - poemas para a juventude
Matilde Rosa Araújo
« Voltar