Agora sim, que fechei o livro de Poesia. 
O Sol deixou de ser uma metáfora para ser o Sol. 
Os sentimentos deixaram de ser apenas palavras. 
Tudo é de verdade, agora que fechei o livro de Poesia                                                                 [e olhei de frente quanto existe. 

Porque diabo me ensinaram a ler? 
(Se não soubesse ler nem sequer fechava o livro, insa-
                               [tisfeito porque o não tinha aberto.) 
Porque me não deixaram sempre agreste e criança? 
As minhas leituras seriam todas fora dos livros. 

Havia de olhar para tudo com uma alegria tão grande, 
                                 [com uma virgindade tão grande, 
que até Deus sorriria 
contente de ter feito o Mundo... 


In ITINERÁRIO PARALELO , Ática, 1986
Sebastião da Gama
« Voltar