Oh, quem dizer pudesse quanto sente
ou se no magoasse do que entende!
Entenda a dor do mal quem o entende;
conhea o bem quem dele se contente.

Vida de pouco gosto e descontente
pretende quem saber muito pretende,
que com obrigaes caras se vende
o muito entendimento comummente.

No h merecimento que merea,
nem culpa que ningum faa culpado:
a ventura nas cousas geralmente

descostume to cru desordenado
que, sem que o bem falte e o mal crea,
quem sente menos quem menos sente.

Luís Vaz de Camões
[OH QUEM DIZER PUDESSE QUANTO SENTE]
Voltar