Nos teus dedos nasceram horizontes
e aves verdes vieram desvairadas
beber neles julgando serem fontes
Eugénio de Andrade
[NOS TEUS DEDOS NASCERAM HORIZONTES]
Voltar