'Splende o sol. Ri o verede. Além, o mar
É azul fundo do azul leve do ar.
Nem tenho força para ter 'sperança.
Quero ver sem sentir e sem pensar.

[1932]

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar