Perante o universo, mudo Quedei-me, sem coração. «Ah! que significa tudo? Onde a causa, a explicação?» Qual a palavra final Que tudo, tudo contém? Diz um Deus outro Bem Outro Força, outro Mal. Mas eu olhando as estrelas E as noites □ e belas E as noites □ céus Um pensamento me vem: Nem Cristo, Buda, nem Deus Nem Natureza, nem Mal! Nem hora, nem coral. Mais além! mais além! □ Espaço deixado em branco pelo autor
15 - 11 - 1907

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar