Sim, um momento
Ainda passas
Pelo meu vago pensamento,
E lembrar-te seria um tormento
Se imaginar fosse desgraças.

Sim, nessa hora
Em que falámos mais a olhar
Do que a falar,
Resultou esta crónica demora

Que tenho agora ao te lembrar.
Apareceste
Em minha vida
Como uma coisa que estava lá fora.
Desapareceste.
Mais tarde soube da tua ida

Contudo, contudo,
Conseguiste
Prender-me um pouco o coração.
E um coração triste
E não
Se entende com tudo
Nem tem jeito
Para se fazer amar
Ou para o imaginar,
Salvo quando
Teu olhar
Teimosamente brando
Me fazia saltar
O coração dentro do peito.

Onde ia eu?
Já me esquecia.
Sim, o meu coração foi teu
Naquele dia,
Naquele dia ou noutro dia...
Nem se houvesse outra  terra ou outro céu
Qualquer coisa aconteceria.

19 - 7 - 1935

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar