Dantes, meio triste, a dor afectava
E o penar fingido que ao poeta assiste
E a mágoa que, jovem, o peito ignorava
E a melancolia sem mesmo estar triste.

Nunca ninguém mais que eu tem sofrido
De modo tão vil, nem com tão intensa
Angústia e horror, sem ter conseguido
Fugir de mim mesmo. Real e imensa
É a dor que a si se faz corroer —
A dor que combate para esquecer
(E contudo não esquece) é vera tristeza.


1907

In Poesia , Assírio & Alvim , edição e tradução de Luisa Freire, 1999
Alexander Search
« Voltar