Certas cousas — disse um
(De que meus versos não explicam)
São como as latas de atum:
Abertas, abertas ficam.

1934-1935

In Poesia do Eu , Círculo de Leitores, edição de Richard Zenith, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar