Cortejo de irreaudades. Último tinir de guizos
Nos confins do horizonte, imprecisos.

Colombina e Harlequim no silêncio idos
Último tinir de guizos depois o silêncio. Gemidos

Sem dúvida. Tristes hipóteses sobre o que fica.
Harlequim e Colombina lá longe onde a noite é rica.

17 - 7 - 1914

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar