«Só mais um dia, 
um dia luminoso e barulhento 
por mim a dentro, 
um dia bastaria, 
em prosa que fosse. 

Mas dá-me para a melancolia, 
para a limpeza, para a harmonia,
impacientam-me as migalhas 
de pão na mesa, as falhas 
da pintura do tecto, 
as vozes das visitas, despropositadas, 
sinto-me sujo como um objecto, 
desapegado, desarrumado. 

Trocaria bem esse dia 
por um pouco de arrumação 
— no quarto e no coração.» 


Terça-feira, 10 de Março 


In POESIA REUNIDA , Assírio & Alvim, 2001
Manuel António Pina
« Voltar