A noite desce tranquila,
Lâmpada desapagada,
De argila
Negada,
Traz sossego? Não sou nada.
A noite baixa na calma
De o dia deixar de ser.
Minha alma?
Que quer
O que em mim sabe se quer?

[1918]

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar