Tenho comigo
Duas saudades:
Um amor, um amigo;
Mas não são verdades.

Nenhuma me foi
Dada nesta vida,
Mas qualquer me dói
Só porque é sentida.

Dói? Não sei. Parece...
Se até o que existe
E magoa esquece,
É poema o ser triste.

5 - 9 - 1933

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar