Dai-me ũa lei, Senhora, de querer-vos,
que a guarde, sob pena de enojar-vos;
que a f, que me obriga a tanto amar-vos,
far que fique em lei de obedecer-vos.

Tudo me defendei, seno s ver-vos
e dentro na minh' alma contemplar-vos;
que, se assi no chegar a contentar-vos,
ao menos que no chegue a aborrecer-vos.

E, se essa condio cruel e esquiva
que me deis lei de vida no consente,
dai-ma, Senhora, j, seja de morte.

Se nem essa me dais, bem que viva
sem saber como vivo, tristemente,
mas contente porm de minha sorte.
 

Luís Vaz de Camões
[DAI-ME ũA LEI SENHORA DE QUERER-VOS]
Voltar