Pero muito amo, muito desejo
aver da que amo e quero gran ben,

porque eu conheço muito bem e vejo
que de aver muito a min non m’ en ven
tan grande folgança que maior non seja
o seu dano d’ ela; quen tal bem deseja
o bem de sa dama en mui pouco ten.

 

Mais o que non é e seer poderia,
se fosse assi que a ela veesse
ben do meu ben, eu muito desejaria
aver o maior bem que aver podesse,
ca pois a nós ambos i viinha proveito;
tal bem desejando, faria dereito
e sandeu seria quen o non fezesse.


E quem d’outra guisa tal bem desejar
non é namorado, mais é un desfron,
que sempre trabalha por cedo cobrar
da que non sérvio o maior galardon;
e de tal amor amo eu mais de cento
e non amo ũa de que me contento
de seer servidor de boon coraçon.


Pois d’ ela m’eu cham’e soõ servidor,
gran treiçon seria, se mha senhor
por meu bem ouvesse mal ou sem razon.


E quantos bem aman assi o diran.

 

Dom Dinis
« Voltar