Gordinho como dois pombos
É o corpo do meu amor,
Como dois pombinhos correios
Que me trazem gozo e dor.
Gozo de os sentir, e a mágoa
De não os sentir melhor.

 


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar