Grande é o pensamento! Ao atravessar
Os negros céus, súbito o raio se enrola
Quando a tempestade, lenta, desenrola
O som poderoso do seu ribombar;

Assim chega o pensar, mais sol que Razão,
Cujos raios volteiam até que nos mata,
Ou como as sombras debruadas a prata
Rolando ao luar da Imaginação.

O pensar vem, mas cega de claridade,
A mente estremece aos ecos do rugido
Levando sua força além do que se alcança;

Beleza horrenda e poder sem piedade
Que mata e rasga, sem mais ser erguido,
O tecido frágil duma triste esp’rança.


1904

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Alexander Search
« Voltar