Um  dia se verá  que o mundo não viveu  um drama.


Todas   estas  batalhas,  todos  estes   crimes,
todas estas crianças que não chegaram a desdobrar-se
                                                                                 [em carne viva
e de quem, contudo, fizeram carne viva logo morta,
todos estes poetas furados por balas
e todos  os  outros   poetas  abandonados  pelos  que
nem coragem tiveram de matar um homem,
toda   esta   mocidade   enganada   e  roubada
e a outra que morreu sabendo que a roubavam,
todo este sangue expressamente coalhado
à   face  íntegra   da   terra,
tudo isto é o reverso glorioso do findar dos erros.


Um dia nos  libertaremos da  morte sem deixar de
                                                                           [morrer


In Coroa da Terra
Jorge de Sena
« Voltar