Em fermosa Leteia se confia,
por onde vaidade tanto alcana
que, tornada em soberba a confiana,
com os deuses celestes competia.

Por que no fosse avante esta ousadia
- que nacem muitos erros da tardana -
em efeito puseram a vingana,
que tamanha doudice merecia.

Mas Oleno, perdido por Leteia,
no lhe sofrendo Amor que suportasse
castigo duro tanta fermosura,

quis padecer em si a pena alheia;
mas, por que a morte Amor no apartasse,
ambos tornados so em pedra dura.

Luís Vaz de Camões
[EM FERMOSA LETEIA SE CONFIA]
Voltar