Saudades me atormentam cruelmente,
saudades de meu bem passado;
mas sam eu a tantos males condenado
sem razo por que posso ser ausente.

Por amor me vi um tempo j contente,
por amor eu me quis atormentado,
bem que o meu erro veja to passado
como com minha dor e mal presente.

Que bem mereceu pois fez tal partida
no vos ver ou no me verdes vs, Senhora,
por que assi pagasse minha vida.

Mas pois minha alma se viu e chora
no queirais que chore a sorte por perdida
ver-vos os meus olhos branda algũa hora.

 

Luís Vaz de Camões
[SAUDADES ME ATORMENTAM CRUELMENTE]
Voltar