Tudo, desde ermos astros afastados
      A nós, nos dá o mundo
E a tudo, alheios, nos acrescentamos,
      Pensando e interpretando.
A próxima erva a que a mão chega basta,
      O que há é o melhor.
10 - 12 - 1931

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[TUDO DESDE ERMOS ASTROS AFASTADOS ]
« Voltar