Adeus, adeus para sempre,
           Que eu não posso mais ficar;
Coisas maiores nos separam
           Do que continente ou mar —
Com orgulho e antipatia
Não se partilha a alegria.

Adeus, adeus para sempre;
           — A frase por ti não dita —
Eu mais fraco, tu mais forte
           Em nossa mútua desdita.
Assim estamos divididos
Tal como os mortos dos vivos

1907

In Poesia , Assírio & Alvim , edição e tradução de Luisa Freire, 1999
Alexander Search
« Voltar