Falta-me o coração.
Dói-me a vida até à alma.
Sinos tangei perdão
Para a minha calma.
 
Secou em mim a fonte.
Desfolharam os ramos...
Paira no horizonte
Um pavor □

Tenho febre nos nervos...
Dói-me por toda a alma...
Ah, quem me dera ver-vos
O oásis no deserto
Da minha febre

7 - 4 - 1916

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar