Tomo de mim a parte que compete
À minha imagem, só por ti sonhada.
Olho-a depois como quem reflecte
N’água a face ignorada.

In O Livro do Nómada meu Amigo
Ruy Cinatti
« Voltar