Fogem as neves frias
dos altos montes, quando reverdecem
as rvores sombrias;
as verdes ervas crecem,
e o prado ameno de mil cores tecem.

Zfiro brando espira;
suas setas Amor afia agora;
Progne triste suspira
e Filomela chora;
o Cu da fresca terra se enamora.
Vai Vnus Citereia
com os coros das Ninfas rodeada;
a linda Panopeia,
despida e delicada,
com as duas irms acompanhada.

Enquanto as oficinas
dos Ciclopes Vulcano esta queimando,
vo colhendo boninas
as Ninfas e cantando,
a terra co ligeiro p tocando.

Dece do duro monte
Diana, j cansada d'espessura,
buscando a clara fonte
onde, por sorte dura,
perdeu Acton a natural figura.

Assi se vai passando
a verde Primavera e seco Estio;
trs ele vem chegando
depois o Inverno frio,
que tambm passar por certo fio.

Ir-se- embranquecendo
com a frgida neve o seco monte;
e Jpiter, chovendo,
turbar a clara fonte;
temer o marinheiro a Orionte.

Porque, enfim, tudo passa;
no sabe o tempo ter firmeza em nada;
e nossa vida escassa
foge to apressada
que, quando se comea, acabada.

Que foram dos Troianos
Hector temido, Eneias piadoso?
Consumiram-te os anos,
Cresso to famoso,
sem te valer teu ouro precioso.

Todo o contentamento
crias que estava no tesouro ufano?
falso pensamento
que, custa de teu dano,
do douto Slon creste o desengano!

O bem que aqui se alcana
no dura, por possante, nem por forte;
que a bem-aventurana
durvel de outra sorte
se h-de alcanar, na vida, para a morte.

Porque, enfim, nada basta
contra o terrvel fim da noite eterna;
nem pode a deusa casta
tornar luz superna
Hiplito, da escura noite averna.

Nem Teseu esforado,
com manha nem com fora rigorosa,
livrar pode o ousado
Pirtoo da espantosa
priso leteia, escura e tenebrosa.

Luís Vaz de Camões
[FOGEM AS NEVES FRIAS]
Voltar