No extremo céu azul verde
Aonde ainda não escureceu,
Da atra nuvem sob o véu
Nítida 'strela se perde.
Assim meu ser se perdeu.

Perdeu-se a 'strela p'ra mim
Pois continua no céu
Por trás do postiço véu.
P'ra mim me perdi assim,
Mas, ai, meu ser era eu!

28 - 11 - 1924

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar