Crer é errar. Não crer de nada serve.
28 - 9 - 1926

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
« Voltar