A ti, Senhor, a quem as sacras Musas
nutrem e cibam de poo divina
(no as da fonte Dlia cabalina,
que so Medeias, Circes e Medusas,

mas aquelas, em cujo peito, infusas
as leis esto, que a lei da Graa ensina,
beninas no amor e na doutrina
e no soberbas, cegas e confusas),

este pequeno parto, produzido
de meu saber e fraco entendimento,
ũa vontade grande te oferece.

Se for de ti notado de atrevido,
daqui peo perdo do atrevimento,
o qual esta vontade te merece.

Luís Vaz de Camões
[A TI SENHOR A QUEM AS SACRAS MUSAS]
Voltar