Os Meninos em si são flores
Flores doces mornas vindas de uma ilha de Sol
Suas casas no chão dobradas
Obscenas feridas na cidade meninos flores no chão
E vossas mãos tão meigas tão pequenas
Vossos olhos flores incendiadaS de ternura ausente
Doce violento perdão lhes assiste
Meninos de olhar de tocar milagrinhos de infância sofrida
incêndios do dia em casas nocturnas
E os olhos dos meninos estão tão abertos

In Voz Nua , Livros Horizonte, 1986
Matilde Rosa Araújo
« Voltar