Não te busquei, não te pedi: vieste. 
E desde que eu nasci houve mil coisas 
que a meus olhos se deram com igual 
simplicidade: o Sol, a manhã de hoje, 
essa flor que é tão grácil que a não quero, 
o milagre das fontes pelo Estio... 
Vieste (O Sol veio também, a flor, 
a manhã de hoje, as águas...). Alegria,
mas calada alegria, mas serena, 
entendimento puro, natural 
encontro, natural como a chegada 
do Sol, da flor, das águas, da manhã, 
de ti, que eu não buscara nem pedira. 

E o Amor? E o Amor? E o Amor? 
                                                   —: Vieste. 


In CAMPO ABERTO , Ática, 1983
Sebastião da Gama
« Voltar