Estou vazio como um poço seco. 
Não tenho verdadeiramente realidade nenhuma. 
Tampa no esforço imaginativo!

[posterior a 1923]

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002
Álvaro de Campos
« Voltar